segunda-feira, 19 de maio de 2008

A OBRA MISSIONÁRIA E O MITO DE MISSÃO LOCAL


Atos 1:8 Diz assim : “ Mas recebereis a virtude do Espírito Santo ,que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os Confins da terra “. Sem sombra de dúvida este é o texto principal do livro de atos dos apóstolos , em que fala da virtude do Espiríto Santo , que seria derramada sobre a igreja de Cristo. Gostaria de compartilhar um pouco sobre este texto esclarecendo minha opinião sobre este assunto com muita fidelidade à palavra de Deus. Falar em mitos da obra missionária soa um pouco estranho porque este assunto é tratado,quase sempre,sob a ótica do emocionalismo, sem que haja um análise mais critica de todos os pontos que o envolvem. Mas quais seriam esses mitos no âmbito da igreja local? Gostaria de enumerá-los : Primeiro Só igrejas grandes ou ricas podem fazer missões; Segundo Só pessoas de bastante recursos financeiros têm condições de contribuir para obra missionária, terceiro que quero destacar é; a igreja local, deve primeiro, pensar em evangelizar sua cidade para depois, quando houver condições,voltar a obra missionária. Este é um mito muito difundido por desconhecimento de atos 1:8, e em alguns casos é uma só justificativa pouco convincente para a indiferença. Sobre isto o pastor Geziel Gomes escreveu em seu livro o desafio da evangelização mundial :” É forçoso recordar que muitos os que advogam tal tese estão completamente parados em questão de evangelismo. Há igrejas que negam enviar obreiros ao exterior, sob o pretexto de cuidarem de sua região,quando,em verdade,nem obreiros nem cultos nem nada está sendo feito em favor da cidade onde se radicam”. A idéia de atos 1.8, é de simultaneidade”Tanto em...como em...” é a expressão que aclara o sentido do texto.Não há aqui nenhum processo gradativo,ou seja,a idéia de se evangelizar primeiro a área local para depois pensar-se em terras de além-mar.
A evangelização tem que ser vista sob enfoque mundial .incluindo-se o trabalho local da igreja.É ação simultânea.Quando a igreja de Jerusalém ficou restrita ao seu grupo local não observando a ordem imperativa de Jesus,Deus permitiu intensa perseguição sobre os crentes ,dispersando-os pelas terras da Judéia e Samaria, a fim de que de que o propósito global da evangelização tivesse prosseguimento (atos 1.8). A igreja que usa este argumento para justificar seu não envolvimento com missões nunca conseguirá partir para a evangelização do mundo,pois anunciar as boas novas para a comunidade local não é coisa que se inclui numa data definida,para “então” começar uma outra fase mais adiante. A evangelização bíblica é permanente, visto que a comunidade não é isolada . Ela se renova dia-a-dia. Portanto , a igreja que deseja ser plenamente bíblica terá de levantar seus olhos um pouco além e contribuir para que a palavra de Deus alcance outras regiões do mundo,ao mesmo tempo em que evangeliza sua região. Precisamos pedir a Deus que tire de nós esse comodismo local e só assim conquistaremos os mais de 2 milhões de pessoas que ainda nunca ouviram falar de Cristo.

Autor:Elizeu Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mande seu comentário