segunda-feira, 19 de maio de 2008

Filhos: fonte de Alegria


No mês de maio é comemorado o dia das mães, e o melhor presente de Deus para as mães (e para os pais) são os filhos. O propósito de Deus é que os filhos sejam fontes de bênçãos.
Salmos 127:03 diz: Eis que os filhos são herança do senhor. A herança precisa ser bem administrada para ser a benção para a qual foi determinada, pois o Senhor, que confiou em nós para cuidarmos de seus tesouros, um dia cobrará o lucro.
Quando olhamos no antigo concerto, ter uma família numerosa ser abençoado, ao passo que não ter filhos era tido como uma maldição. No novo concerto, ter muitos filhos não é precisamente uma evidência do favor divino, da mesma forma que não poder tê-los não deve ser tido como maldição, pois uma família numerosa pode tornar-se um pesadelo se os filhos não forem criados devidamente nos caminhos do Senhor.
Ter ou não ter filhos é um planejamento pessoal do casal. Tenho amigos, por exemplo, que preferem não tê-los, o que pode até ser uma benção se a pessoa dedicar sua vida e tempo na causa do Senhor. Mas se você, assim como eu, sempre desejou ser mãe, não adie isso por muito tempo. Há muitos casos daqueles que ficam esperando ter uma carreira bem sucedida, casa, carro, bens e quando enfim conquistam tudo isso e decidem ter filhos, vêem seus sonhos frustrados, pois seu corpo já não pode mais.
Para aqueles que vêem os filhos como uma distração ou um incômodo, digo que deveriam vê-los como uma oportunidade de formar o futuro. Todos os filhos de crentes devem ser considerados dádivas de Deus, e requerem dos pais uma criação sábia e cristã. Os filhos foram confiados aos pais não para serem meramente amados, educados, e ensinados, mas também para que eles pudessem ser nossos professores. Os filhos são uma rica oportunidade que Deus nos dá de crescimento e amadurecimento.
Eu mesmo, em minha pequena experiência de mãe (tenho um bebê de apenas quatro meses), já tenho sentido grande alegria e aprendido muito. A primeira coisa que uma mãe tem a oportunidade de aprender é a não ser egoísta, pois sempre as necessidades de seu filho estarão na frente das suas.
Mas deixe-me compartilhar um pouco de minhas alegrias e de meu aprendizado como mãe. Quando soube que estava grávida, chorei de alegria. Cada vez que fazia um ultrassom e via aquele ser sendo formado e se desenvolvendo, era mais uma felicidade. E conforme os meses foram passando e fui preparando seu enxoval, começava a imaginar como seria seu rostinho, seu temperamento, se seria saudável, etc. E a primeira vez que ele se mexeu na minha barriga, que emoção! Pois é, mas eu não sabia que a emoção maior seria quando eu o visse pela primeira vez. Nos primeiros dias após seu nascimento, eu fiquei em êxtase, tamanha a alegria que sentia. Daí em diante não parei de agradecer todos os dias à Deus pela experiência tão rica de ser mãe. Há momentos, é claro, em que nem tudo são flores, como os momentos em que eles, os bebês começam a chorar sem nenhum motivo aparente e a gente tenta de todas as formas acalmá-los, mas parece que só provocamos o efeito contrário. São momentos como estes que Deus testa nossa paciência e domínio próprio.
Mas é assim, vivendo de muitas alegrias e de momentos difíceis que vamos sendo enriquecidos com as experiências vividas no dia-a-dia de um lar com uma criança.
Autora:Andréa Marafigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mande seu comentário